NOTÍCIAS

ALFÂNDEGA DO PORTO DE SANTOS RECEBE NOVOS ANALISTAS

A Alfândega do Porto de Santos ganhou novos analistas-tributários. Até a última quinta-feira, 18 candidatos aprovados no concurso público que a Secretaria da Receita Federal fez em 2012 já tinham tomado posse de seus cargos. Segundo o inspetor-chefe da Aduana, Cleiton Alves dos Santos João Simões, a maioria rá reforçar as equipes de inspeção e fiscalização da unidade, especialmente a Central de Operações e Vigilância .

Os novos analistas foram nomeados pela Receita Federal com a Portaria nº 719, assinada no último dia 21, mas publicada na edição do dia 24 do Diário Oficial da União. O texto trouxe a convocação de 693 candidatos aprovados no concurso realizado no segundo semestre de 2012 e a designação para unidades de todo o País. Desse total, 62 foram enviados a unidades alfandegárias. As de Santos e Manaus foram as que mais receberam profissionais - cada uma teve 21. Para Paranaguá (PR), foram destinados 17 e para Itaguaí (RJ), três.

Os três candidatos aprovados que ainda não se apresentaram em Santos podem fazê-lo até 30 dias após a publicação da nomeação - até o dia 27 deste mês.

Com o reforço à equipe, a Alfândega do Porto de Santos passa a contar com 126 auditores-fiscais e 128 analistas-tributários. Com a apresentação dos 18 concursados, o efetivo da Aduana teve um aumento de 7,6% (considerando apenas a categoria dos analistas, o crescimento foi de 16,3%).

De acordo com o inspetor-chefe, os novos agentes também serão designados às atividades-meio (logística e tecnologia, por exemplo) do órgão. Mas a maioria atuará nas atividades-fim (repressão, despacho e vigilância), que, hoje, têm à maior demanda de pessoal, explica Simões.

Sobre novos concursos da Receita Federal, a Alfândega informou que não há planos de mais processos seletivos para analistas-tributários. Mas o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão já autorizou um concurso para auditor-fiscal, conforme Portaria nº 51, do último dia 18. Foram abertas 278 vagas para todo o País.

Fonte: A Tribuna