NOTÍCIAS

CODESP ESPERA BONS RESULTADOS PARA ESTE ANO E DIVULGA PROJEÇÕES PARA 2013

A expectativa do diretor presidente da CODESP, Renato Barco, é que o Porto de Santos atinja um total de 103 milhões de toneladas de cargas movimentadas, um crescimento da ordem de 6% em relação ao registrado em 2011 (97.170.308 t). Quanto ao resultado financeiro, Barco projeto fechar o ano com um lucro líquido de R$ 83 milhões. 

O presidente comenta que, neste ano, a CODESP deu importantes passos para aprimorar sua gestão, destacando a iniciativa referente ao seu planejamento estratégico, através de ferramentas que permitem uma análise eficaz de suas ações. "Um Comitê Gestor do Sistema Integrado de Gestão coordena o trabalho desenvolvido por 20 grupos temáticos, formados por gestores da empresa, que executam a metodologia Fast Analysis Solution Technique - FAST na pesquisa de processos, resultados e definição de maneiras de avaliar e monitorar os resultados desses processos", explica. Além disso, a empresa concluiu neste ano a concorrência nº 6/12, no valor de R$ 6,1 milhões, para aquisição de um Sistema Integrado de Gestão Empresarial, pelo prazo de 24 meses. 

Barco lembra, ainda, que neste ano, a CODESP gerou mais 162 postos de trabalho, com a admissão de novos profissionais para seu quadro de pessoal. Além disso, capacitou 1.064 colaboradores, durante quase 20 mil horas de treinamento. 

O diretor de Administração e Finanças, Alencar Costa, explica que o crescimento na movimentação de cargas produziu impacto direto na receita da empresa, resultando em um crescimento da ordem de 8,6% no resultado do balanço no período de janeiro a setembro. "Isto representa um diferencial de 3,6 pontos percentuais acima do registrado pela movimentação de cargas, afirma Alencar. Explica que esse diferencial é produzido pela variação de 4,99% do IGPM médio que reajusta os contratos de arrendamento anualmente e redução dos encargos financeiros incidentes sobre os parcelamentos do FNDES, dos custos das tarifas bancárias e da maior eficiência nas aplicações financeiras do recursos disponíveis da empresa. 

Segundo Alencar, a expectativa é que esse cenário se mantenha até o final do ano, proporcionando um crescimento do resultado líquido da ordem de 27,2% em relação a 2011. Para atingir esses resultados a CODESP considera a concretização de um crescimento da Receita Bruta Total da ordem de 8,57%, que resultaria em um montante de R$ 772 milhões e uma previsão de Despesa Total de R$ 605 milhões. 

Quanto aos investimentos, o diretor presidente estima concretizar cerca de 32,8% dos recursos liberados, dos quais 70,5% com recursos do Tesouro Nacional e 29,5% com recursos próprios. 

Alencar destaca as contribuições sociais da CODESP e na relação capital/trabalho, que envolveram dispêndios de R$ 73 milhões com impostos e contribuições sociais e capacitação de pessoal, que incluíram a realização de 945 cursos e geração de 64 empregos diretos, um crescimento de 4,4% no período. 

As projeções para 2012 refletem os resultados de uma gestão profissional, comprometida com os objetivos da empresa e do Porto de Santos que vem apresentando, há 6 anos consecutivos, resultados financeiros positivos, sob a coordenação da Secretaria de Portos da Presidência da República - SEP, pagando dividendos aos acionistas e distribuindo Participação nos Lucros e Resultados - PLR aos seus empregados. 

Para 2013, a CODESP estima um crescimento em torno de 13% para o Resultado Econômico, com um Lucro Líquido de, aproximadamente, R$ 100 milhões. 

Essa projeção se baseia nas perspectivas para a economia nacional no próximo ano. Segundo pesquisa realizada pela Câmara Americana de Comércio - AMCHAM, a maioria dos participantes das 214 empresas ouvidas preveem uma inflação estável e um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 4% para o próximo ano. Já os setores industrial e Varejista projetam um crescimento de 4,10% e 13,35%, respectivamente.

Estes cenários projetados para 2013 estão amparados nas medidas que o governo brasileiro continua buscando para manter a taxa básica de juros (SELIC) em 7,25%, uma taxa de inflação em torno de 5% (controlada) e uma recuperação da atividade no cenário nacional. 

Finalmente, as previsões para a Balança Comercial apontam que as trocas comerciais brasileiras tendem a evoluir, ainda mais, se o país buscar uma aproximação com economias consolidadas como Estados Unidos (EUA), Alemanha e China, como também, com mercados emergentes como Rússia, Índia, África do Sul e México. 

Situação Financeira - Para melhor ilustrar a situação financeira da CODESP e da eficiência na gestão da Companhia após a criação da Secretaria de Portos da Presidência da República - SEP, apresentamos no quadro abaixo, a evolução dos indicadores de liquidez no período de 2006 a 2011: 

O conjunto dos indicadores acima mostra que a CODESP dispõe, hoje, de quase R$ 2,00 em caixa para saldar cada R$ 1,00 de dívida, situação que muitas empresas gostariam de dispor. Antes da gestão dos portos passar para a SEP a Companhia tinha, somente, R$ 0,07 de caixa para cada R$ 1,00 de dívida. 

Esses resultados são fruto de uma gestão eficiente, que promoveu medidas inovadoras, tais como a nova modelagem de licitação de áreas arrendadas, bem como uma atuação eficaz nos recebimentos de valores tidos como não recebíveis (COSIPA/ REFER/ DNIT e Ministério dos Transportes), associadas a redução do Passivo. 

O total do passivo corrente, registrado em 2011 (R$ 563,7 milhões), demonstra uma redução de 31,19% em relação a 2006 (R$ 819,3 milhões). 

Outro aspecto que merece destaque é o desempenho do Patrimônio Líquido da Codesp, nesse período, que apresentou um crescimento de 97,77%, refletindo o esforço da empresa em sanear seus encargos, reduzir o passivo acumulado, seja de caráter judicial ou financeiro, além de uma expressiva alavancagem no Ativo Circulante, com recebimentos considerados de créditos de difícil solução.e a modelagem de licitação de áreas arrendadas implantada. 

O desempenho do Resultado econômico traduziu-se em um crescimento expressivo, que devido à manutenção de lucros anuais, conduziu à obtenção de Taxas de Retorno do Patrimônio Líquido no mesmo patamar, atingindo 123,51% no período de 2006 a 2011. 

O crescimento da Receita Operacional Líquida está refletido na evolução do Recolhimento de Impostos por parte da Codesp nos âmbitos Federal, Estadual e Municipal. A empresa encontra-se rigorosamente em dia com o pagamento de impostos, tributos, contribuições e taxas. 

Cabe destacar, que a CODESP não recebe nenhum recurso do Governo Federal para custeio de suas obrigações e, ainda, participa com recursos próprios na realização de alguns investimentos em infraestrutura. 

Finalmente, é oportuno esclarecer que todos os resultados obtidos no período em questão foram fruto de uma efetiva gestão dos recursos, uma vez que desde 2005 a CODESP não reajusta sua tarifa portuária.