NOTÍCIAS

CUBATÃO VOLTA ATRÁS E SUSPENDE DECRETO QUE RESTRINGE ACESSO DE CAMINHÕES NO PORTO DE SANTOS

A Prefeitura de Cubatão voltou atrás e suspendeu decreto que restringiu acesso de caminhões ao Porto de Santos e causou congestionamento de 50km nesta terça-feira. A medida inesperada provocou lentidões e congestionamentos nas Rodovias Cônego Domênico Rangoni, Anchieta e na Imigrantes. 

Os pátios Elog e Rodopark, que funcionavam 24 horas por dia, tiveram seu horário de funcionamento restrito a apenas 10 horas diárias. A prefeitura de Cubatão regulamentou lei municipal de 1990 que limita acesso de caminhões aos pátios do Porto de Santos das 8h às 18h. 

A regulamentação do decreto pela prefeita de Cubatão, Márcia Rosa, do PT, pegou de surpresa empresários, sindicatos, governos e a autoridade portuária. O secretário de negócios jurídicos de Cubatão, Paulo de Toledo Ribeiro, tenta justificar a necessidade da medida, que esperava regulamentação há 23 anos. 

Após reunião com representantes do governo do Estado, da Codesp e da autoridade portuária, a prefeitura de Cubatão voltou atrás. Ficou decidido que a vigência do decreto fica suspensa até a terça-feira da semana que vem. 

Segundo o presidente do Conselho da Autoridade Portuária, Bechara Abdala, que participou da negociação, ficou acertada série de melhorias para o trânsito dos caminhões. Ele esclarece que serão tomadas medidas emergenciais até a conclusão das melhorias necessárias. 

No encontro, também foi aventada a possibilidade de construção de pátio de caminhões no planalto para desafogar os estacionamentos de Cubatão. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, criticou o fato de o decreto ter sido publicado na antevéspera de um feriado nacional. 

Ele anunciou que o Ministério dos Portos deve contratar a Dersa para realizar obras necessárias dentro da área do porto. O governador afirma que é preciso solução rápida para minimizar os gargalos no Porto de Santos e assinala que rodovia não é estacionamento. 

O presidente do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de São Paulo, Valdir dos Santos, alerta para o prejuízo diário causado pela a restrição de acesso ao porto. E estima perda de milhares de reais na exportação, importação e no escoamento de grãos pelo porto de Santos. 

Segundo o governo do Estado, a construção do Ferroanel ajudará a aliviar o tráfego de caminhões e facilitar o acesso ao Porto de Santos. A intenção do governo paulista é que a Dersa viabilize a obra simultaneamente à construção do trecho norte do Rodoanel. 

Confira a entrevista do presidente do Sindasp, Valdir Santos à Rádio Jovem Pan. 

Fonte: Jovem Pan