NOTÍCIAS

SECRETARIA DE PORTOS E CODESP IDENTIFICAM CAUSAS DE EXCESSO DE CAMINHÕES

A Secretaria de Portos (SEP) e a CODESP identificaram os motivos que causaram lentidão no trânsito das vias de acesso ao Porto de Santos nesta terça-feira, dia 18 de fevereiro. O grande número de caminhões sem agendamento, ou fora da janela de horário, e um grande número de veículos direcionados para o Distrito Industrial da Alamoa (fora do Porto Organizado) motivaram os transtornos observados no trânsito da região.

Segundo o diretor do Departamento de Sistemas de Informações Portuárias da SEP, Luis Claudio Santana Montenegro, o Porto de Santos tem capacidade para absorver todo o volume da safra. "O problema é a desorganização verificada no fluxo de caminhões", garantiu Montenegro.

O diretor-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (CODESP), Renato Barco, destacou que o fluxo de caminhões entre segunda-feira, dia 17 e terça, dia 18, foi acima do normal. "Conseguimos identificar caminhões não agendados ou que se adiantaram por cerca de dois dias", disse.

O presidente também lembrou que os veículos com destino ao distrito industrial da Alamoa, que não estão sujeitos ao agendamento por estarem fora da área do porto organizado, também contribuíram para a lentidão no trânsito: "O acesso dos caminhões na Alamoa colaborou com o movimento e levou fila para a Via Anchieta."

Montenegro elogiou as prefeituras da região e disse esperar que sejam tomadas medidas para melhorar o tráfego na Baixada Santista. "É um esforço amplo que envolve vários entes de governo, das três esferas, federal, estadual e municipal, com o propósito de organizar a chegada dos caminhões", disse o diretor.

Autuações

"A orientação do governo é punir quem achar que pode descumprir regra", afirmou Montenegro. Ele informou que os casos que trouxeram dificuldades serão verificados. "Os relatórios serão analisados, e os terminais que descumpriam as regras estabelecidas pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) serão punidos", disse.

Renato Barco disse estar confiante de que o agendamento será eficiente para a redução dos problemas de trânsito. Ele recordou que, no segundo semestre de 2013, o Porto de Santos bateu recordes de movimentação sem grandes transtornos no tráfego. "Tivemos problemas no ano passado no primeiro semestre, quando o Porto de Santos movimentou em média oito milhões de toneladas por mês; já em agosto foram quase onze milhões e meio de toneladas sem qualquer transtorno."

O representante da SEP finalizou afirmando o empenho do governo para que a chegada da safra seja organizada. "É um processo de mudança cultural, que não acontece da noite para o dia e o governo está trabalhando para que isso aconteça no menor tempo possível", completou.

Fonte: Agência Nacional de Transportes Aquaviários